Ronaldinho segue em prisão domiciliar no Paraguai


  • Compartilhar com:
  • Whatsapp
  • Email

Desembolsando cerca de R$ 2 mil ao dia Ronaldinho Gaucho e o irmão Roberto Assis, cumprem pena domiciliar num luxuoso hotel no centro de Assunção no Paraguai, após tentar entrar no país com passaporte falso.
Em tempos de quarentena e isolamento, Ronaldinho Gaúcho não vai às ruas, mas utiliza todas as dependências do hotel. O dia a dia da dupla é marcado por luxo e tranquilidade, o Gaúcho passa as noites na suntuosa suíte presidencial do hotel Palmaroga. Seu irmão fica em uma acomodação igualmente luxuosa e com custo semelhante, mas sem o status de presidencial.
No destacado restaurante, faz suas refeições e recebe visitas como a de representantes da embaixada brasileira no Paraguai e jornalistas. Sempre nas entrevista destaca que não sabia do problema com os passaportes e que só quer contribuir com as autoridades locais.
Com internet Wi-FI liberada no local, Ronaldinho acessa a internet, conversa com amigos, familiares e aproveita até para participar das já famosas "lives" de artistas brasileiros. Nas últimas semanas, entrou - através da chamadas em vídeo - na transmissão de ao menos três grupos de pagode.
Segundo o gerente do hotel, Emilio Yegros, Ronaldinho só fez um pedindo até agora que não estivesse entre os serviços do hotel: uma bola e um local para "brincar" com a mesma. Uma sala espaçosa do Palmaroga foi reservada para que a vontade do "morador" fosse atendida. Ele segue em prisão domiciliar e sem data para sair. Após depositarem R$ 8 milhões em juízo para trocarem o quartel que servia como prisão pelo hotel, o ex-craque aguarda o final do processo. 

 

Fonte UOL

NOTÍCIAS RELACIONADAS