Trabalho de “Prevenção de lesão por pressão” da FCecon é destaque em evento internacional


  • Compartilhar com:
  • Whatsapp
  • Email

 

 

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) teve o trabalho “Prevenção de lesão por pressão” selecionado em primeiro lugar para participar do 5º Fórum Latino Americano de Qualidade e Segurança na Saúde. O evento teve início na segunda-feira (14/10) e prossegue até esta quarta (16/10), em São Paulo.


O trabalho de “Prevenção de lesão por pressão” é uma ação realizada por meio do projeto “Paciente Seguro”, que é executado por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi/SUS), do Ministério da Saúde (MS), em parceria com o Hospital Moinhos de Vento (RS). Na FCecon, as ações são coordenadas pelo Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) e Comissão de Controle de Infecções Hospitalares (CCIH).


O projeto “Paciente Seguro” faz parte da rotina de 60 hospitais brasileiros, e visa melhorar a segurança das pessoas que buscam atendimento ou tratamento nesses locais. Na Fundação, as unidades pilotos são a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) adulto – metas de Higienização das mãos e Uso racional de medicamentos; 4º andar – Redução de Quedas; 5º andar – Prevenção de lesão por pressão; 7º andar – Identificação do paciente; 8° andar – Comunicação efetiva; e Centro Cirúrgico – Cirurgia segura.

 

Seleção – Conforme a enfermeira responsável pelo NSP/FCecon, Marielle Colares Magalhães Martins, o projeto de “Prevenção de lesão por pressão” concorreu com outros seis hospitais brasileiros, tendo empatado com o Pará. “Todavia, os relatórios das metas, o empenho da equipe e as ferramentas de gestão utilizadas na solução de problemas – PDSAs, sigla em inglês para Planejar, Desenvolver, Estudar e Agir – foram importantes para conquistar o primeiro lugar”, frisou.

 

Para cada meta e ferramenta de gestão utilizada, ressaltou Magalhães, existe uma equipe multiprofissional formada por médicos, fisioterapeutas, nutricionistas, enfermeiros, farmacêuticos e técnicos de enfermagem pelos andares onde os trabalhos são executados. Ela frisou que o envolvimento desses profissionais, a sensibilização, a ajuda na coleta de indicadores, a orientação dos acompanhantes e de pacientes sob risco de lesão por pressão foram essenciais para a conquista.

 

“Nosso objetivo é reduzir a incidência de lesão por pressão nesse setor em até 50% até dezembro de 2019. Com isso, precisamos da colaboração de todos os envolvidos na assistência de saúde com qualidade”, afirma Marielle.

 

Implantação – A farmacêutica do NSP, Andréa Marques, informou que o trabalho de prevenção de lesão por pressão já vinha sendo desenvolvido pelo CCIH e NSP. Entretanto, com a inclusão da FCecon no mês de abril ao projeto Paciente Seguro, foi possível intensificar as mudanças e divulgar mais as ações para o alcance das metas estabelecidas em cada setor.

 

Ela disse que a escolha pelo 5º andar se deu pelas características dos pacientes – em cuidados paliativos. “São pacientes que passam longos períodos acamados, alguns perderam a mobilidade e, assim, estão mais sujeitos às lesões por pressão. Diferentemente, de outros internados nos demais andares onde a rotatividade é maior”, ressaltou.

 

Segundo Marques, os resultados estão sendo analisados para se corrigir possíveis entraves e, no futuro, o objetivo é expandir as ações do projeto Paciente Seguro para todo o hospital.

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS