Jornalista Paulo Henrique Amorim morre no Rio aos 77 anos


  • Compartilhar com:
  • Whatsapp
  • Email

O jornalista Paulo Henrique Amorim morreu na madrugada de hoje (10) no Rio de Janeiro. A informação foi divulgada pela TV Record, emissora onde trabalhava desde 2003. Sua trajetória profissional foi destacada nesta manhã pelo jornalista André Azeredo, que apresenta o programa SP no Ar.

"É com muita tristeza que a gente noticia a morte de um dos maiores jornalistas da história desse país. Morreu nessa madrugada Paulo Henrique Amorim. Ele estava no Rio de Janeiro. Paulo Henrique trabalhava aqui na Record desde 2003 e deixa um legado para o jornalismo do país".

De acordo com a emissora, o jornalista saiu para jantar com amigos na noite de ontem (9) e infartou quando retornou à sua casa. Aos 77 anos, ele deixa uma filha e esposa também jornalista Geórgia Pinheiro.

Paulo Henrique Amorim construiu uma carreira que vai do jornalismo impresso ao televisivo. Atuou como correspondente internacional em Nova Iorque nas revistas Realidade e Veja. Na televisão, passou pela extinta Manchete, pela GloboBandeirantesTV Cultura.

Contratado pela Record em 2003, ele assumiu na ocasião a apresentação da edição noturna do Jornal da Record. Posteriormente foi deslocado para o programa Domingo Espetacular. No final do mês passado, ele foi afastado da atração após 14 anos no seu comando. Na ocasião, a emissora anunciou o nome de novos apresentadores como parte de uma reformulação do seu jornalismo e afirmou que Paulo Henrique Amorim não seria demitido, ficando à disposição para novos projetos.

Paralelamente, o jornalista também editava o Conversa Afiada, um site focado na cobertura política do país que ele criou inicialmente como um blog em 2008. A notícia de sua morte repercutiu no meio profissional e político.

"Os jornalistas brasileiros acordaram hoje com uma triste notícia: a morte por infarto do jornalista Paulo Henrique Amorim. É uma perda para o jornalismo. Além de atuar na Record, ele também atuava no jornalismo independente com seu site Conversa Afiada e estava fazendo um trabalho interessante porque suscitava o debate e a crítica. Vai fazer falta", lamentou Maria José Braga, presidente da Federação Nacional dos Jornalistas.

Nas redes sociais, políticos e colegas de profissão também prestam homenagem. O jornalista e escritor Mário Magalhães escreveu em seu perfil que Paulo Henrique Amorim foi um jornalista corajoso e compartilhou um de seus discursos. "Reverencio sua memória com um vídeo dele, de dezembro de 2017, em defesa da liberdade de expressão".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Vazamento de óleo pode ter partido de navio irregular, diz Marinha

Vazamento de óleo pode ter partido de navio irreg...


Um morto e 16 presos em operação contra invasão no Maracanã

Um morto e 16 presos em operação contra invasão...


Sejusc e Seas firmam parceria para otimizar atendimento a idosos no Amazonas

Sejusc e Seas firmam parceria para otimizar atendi...


MC Gui pede desculpas após acusações de fazer bullying com criança

MC Gui pede desculpas após acusações de fazer b...


Policia Civil faz operação contra invasão do Maracanã amanhã

Policia Civil faz operação contra invasão do Ma...


Concessão de loteria da raspadinha será leiloada nesta terça-feira

Concessão de loteria da raspadinha será leiloada...


Gás de botijão residencial aumenta para as distribuidoras

Gás de botijão residencial aumenta para as distr...


OEA pede explicações sobre interrupção de contagem de votos na Bolívia

OEA pede explicações sobre interrupção de cont...


"Caso único no mundo", diz Mourão sobre manchas de óleo no Nordeste

"Caso único no mundo", diz Mourão sobre manchas ...


Operação Grand Bazaar investiga fraudes em fundos de pensão

Operação Grand Bazaar investiga fraudes em fundo...