Doar sangue pode reduzir risco de doenças cardíacas, alguns tipos de câncer e promove satisfação pessoal por fazer uma boa ação


  • Compartilhar com:
  • Whatsapp
  • Email

Doar sangue faz bem! Sim, além de salvar vidas, o ato promove uma série de benefícios à saúde do doador, que vão desde a redução de risco de doenças cardíacas, alguns tipos de câncer e a satisfação em promover uma boa ação. Neste dia 14 de junho, quando é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, o diretor-geral, médico e intensivista do Hospital Geral do Hapvida, em João Pessoa, João Rodolfo, ressalta os benefícios dessa atitude, que já foi cercada de mitos e que hoje é um procedimento simples, seguro e indolor.

O médico explica que existem estudos que comprovam que a doação de sangue reduz a viscosidade do sangue, permitindo assim, que os doadores sejam menos propensos a desenvolver doenças do coração. Sem falar que, segundo ele, o processo funciona como uma espécie de ‘limpeza sanguínea’.
“O nosso sangue é produzido na medula e renovado a cada três, quatro meses. Nesse processo, de uma forma bem simbólica, é como se dentro desse período o sangue fosse para o lixo; a doação de sangue é pegar algo que é nosso, que leigamente vai para o lixo e ajudar pessoas. Um processo simples, seguro e indolor”, afirma.

A doação também colabora com a redução de certos tipos de câncer. “Já houve a comprovação que a doação sanguínea promove a redução de alguns tipos de câncer pela redução oxidativos. Com a doação há uma renovação das células, com isso, as células velhas são renovadas”, ressalta João Rodolfo.  

Outro benefício, conforme explicou o médico, é a possibilidade de fazer uma espécie de mini-check up, já que o doador precisa ser submetido a uma bateria de exames para identificação de possíveis doenças infecto-contagiosas, a exemplo de AIDS, Sífilis, Doença de Chagas, contato prévio com hepatite B e C e vírus HTLV, permitindo que o voluntário esteja mais atento à saúde.“Sem falar na satisfação de promover o bem: o sentimento de poder ajudar de uma a quatro pessoas com uma única doação. Não existe outra forma de salvar a vida de quem precisa de doação se não for doando. Dessa forma, é possível ter uma satisfação, fortalecer a autoestima e ter a sensação de felicidade”, destaca.
 
Junho Vermelho – João Rodolfo ainda aproveitou para lembrar que este mês é dedicado a campanha de doação de sangue, no movimento que foi denominado de Junho Vermelho. Ele elogiou a iniciativa e disse que no Nordeste a data é ainda mais importante por causa dos festejos juninos, que acabam levando a um aumento na quantidade de feridos, o que consequentemente, faz que mais pessoas precisem de sangue.

“Esclarecer a importância da doação é o principal caminho. É preciso levar informação clara e objetiva sobre a doação para combater as ‘Fake News’, que muitas vezes afastam os doadores. “Uma única doação de sangue é capaz de salvar quatro vidas. Além disso, para quem doa há benefício de poder ajudar quem não tem outra opção para saúde para seguir com a vida”, reforça.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Seduc-AM abre vagas para cursos de formação em Educação Especial

Seduc-AM abre vagas para cursos de formação em E...




Brumadinho: Vale e MPT firmam acordo por acidente de trabalho

Brumadinho: Vale e MPT firmam acordo por acidente ...




Presidente Bolsonaro anuncia fim da taxa para radioamadores

Presidente Bolsonaro anuncia fim da taxa para radi...


Receita paga hoje restituições do 2º lote do Imposto de Renda

Receita paga hoje restituições do 2º lote do Im...



Manaus, a Paris dos trópicos, festeja a “Revolução Francesa”

Manaus, a Paris dos trópicos, festeja a “Revolu...