Publicidade


Britânico cai em emboscada da polícia do Qatar e é preso 'por ser gay'


  • Compartilhar com:
  • Whatsapp
  • Email

Um britânico de origem mexicana está preso no Qatar desde 4 de fevereiro após responder a uma falsa mensagem no aplicativo de namoro gay Grindr, em operação montada pela polícia local.

Manuel Guerrero, de 44 anos, está detido "por ser gay", disse Enrique, irmão dele, na quinta-feira (29/2), após lançar com outros parentes uma campanha para libertar o ex-funcionário da British Airways.

"A polícia do Qatar usou um perfil falso do Grindr para entrar em contato com Manuel e convidá-lo para participar de uma reunião com outras pessoas da comunidade LGBT na cidade de Doha", afirmou Enrique, de acordo com o "Sun".

"Manuel deveria se encontrar com uma pessoa com quem pensava ter marcado um encontro na noite de 4 de fevereiro, mas em vez disso encontrou policiais que estavam esperando para prendê-lo arbitrariamente", completou ele.

"Durante a detenção, a polícia "plantou" um quarto de grama de metanfetamina para incriminá-lo pelo crime de posse de drogas e até hoje ele continua preso injustamente", finalizou Enrique.

A família de Manuel diz que um tribunal de Doha decidirá no próximo mês se o britânico será expulso do Qatar ou se enfrentará julgamento.

Segundo parentes, Manuel alega estar sofrendo tortura na prisão e diz que lhe foram negados medicamentos antirretrovirais para o seu HIV. Ele também afirma ter sido obrigado a assistir a punição de presos com chibatadas.

No Qatar, onde Manuel trabalha, a homossexualidade é proibida. O governo do Reino Unido está cuidando do caso.

"O Qatar pune a homossexualidade e quaisquer questões relativas à diversidade sexual, é nisso que o Qatar acredita. Mas os direitos humanos substituem as suas leis homofóbicas. Orientação sexual e diversidade sexual são direitos humanos, não crimes", desabafou Enrique.