Azul aumenta proposta para comprar parte da Avianca


  • Compartilhar com:
  • Whatsapp
  • Email

 

 A companhia Azul Linhas Aéreas informou, nesta segunda-feira (13), que protocolou na Justiça uma nova proposta para comprar parte das operações da Avianca Brasil, empresa que passa por recuperação judicial e cancelou diversos voos no último mês.

Em nota, a empresa informou que requereu junto ao juízo da 1ª Vara de Falências e Recuperação Judicial de São Paulo, onde se processa a recuperação judicial da Avianca Brasil, uma autorização específica para a compra de uma "nova Unidade Produtiva Isolada (Nova UPI)", espécie de empresa que seria criada a partir do desmembramento da Avianca, no valor mínimo de U$ 145 milhões.

A proposta é maior do que a ofertada em março, quando a Azul ofereceu US$ 105 milhões para a compra de parte das operações da Avianca Brasil. A oferta da Azul prevê a compra de 21 slots (autorizações de pouso e decolagem), que a Avianca detém atualmente no Aeroporto de Congonhas; 14, no Santos Dumont, e 7 no aeroporto de Brasília.

"A Azul acredita que o pedido formulado ao juízo da RJ para alienação judicial da Nova UPI confere à Avianca Brasil, seus empregados, consumidores, credores e demais interessados uma alternativa legal e legítima para viabilizar a monetização, o uso continuado de bens e a preservação de atividades, as quais correm grave risco de paralisação e rápida deterioração das atividades da companhia, no melhor interesse do mercado de aviação e todos os envolvidos", disse a empresa em comunicado ao mercado.

A empresa aérea justificou o pedido de compra com o argumento de que a medida oferece uma alternativa para aumentar a competitividade na ponte aérea Rio-São Paulo. A Azul disse ainda que a proposta de nova UPI "não invalida o procedimento de alienação judicial das 7 unidades produtivas isoladas", previstos para ser leiloados na semana passada.

O leilão, que deveria ter acontecido na última terça-feira (7), foi suspenso pela Justiça de São Paulo a pedido da Swissport Brasil, empresa que atua com serviços de logística em aeroportos. A Swissport argumentou, no pedido, que a transferência de slots, prevista no plano de recuperação da Avianca, é proibida por lei. A Avianca recorreu da suspensão, defendendo a legalidade de seu plano de recuperação.

"A alienação de UPIs, com a destinação dos recursos recebidos para o pagamento de credores, é inequivocamente um meio legítimo de recuperação", disse a empresa no recurso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Manejo de pescado no Distrito Agropecuário em pauta na Suframa

Manejo de pescado no Distrito Agropecuário em pau...


Uso da força em Hong Kong pode afetar acordo dos EUA com a China

Uso da força em Hong Kong pode afetar acordo dos ...


Famílias de vítimas de voo da Chape querem ajuda de Bolsonaro

Famílias de vítimas de voo da Chape querem ajuda...


Previsão de crescimento econômico aumenta; estimativa de inflação cai

Previsão de crescimento econômico aumenta; estim...


A primeira edição do Pet Expo Mix chega a Manaus

A primeira edição do Pet Expo Mix chega a Manaus...


Zona Franca e desenvolvimento econômico em pauta na Casa da Coca-Cola

Zona Franca e desenvolvimento econômico em pauta ...


Maduro acusa ex-presidente colombiano de plano para assassiná-lo

Maduro acusa ex-presidente colombiano de plano par...


Taxa de desemprego do país recua para 12% no trimestre

Taxa de desemprego do país recua para 12% no trim...


Bolsonaro manda suspender uso de radares nas rodovias federais

Bolsonaro manda suspender uso de radares nas rodov...


Câmara aprova texto-base da MP da Liberdade Econômica

Câmara aprova texto-base da MP da Liberdade Econ...